ÍCONES DA ILUMINAÇÃO – RATCHED E SEUS CENÁRIOS INCRÍVEIS

Mais uma série analisada! Ryan Murphy desenvolveu esta série com cenários marcantes, luxuosos, uma paleta de cores escolhida a dedo e uma iluminação nada básica!

09 de NOVEMBRO de 2020

Você já parou para imaginar o quanto o cenário de uma produção cinematográfica pode influenciar a interpretação e as sensações causadas em quem assiste? E já se perguntou quais são os desafios para quem cuida dessa área da produção? Hoje vamos te mostrar os cenários arquitetônicos e diferenciados da nova série do Netflix: Ratched.

Todo mundo com certeza já ouviu falar ou assistiu ao filme “Um Estranho no Ninho”, de 1975. O longa, baseado no livro homônimo, conta a história de Randall McMurphy, um criminoso que vai terminar de pagar sua sentença pelo estupro de uma adolescente em uma ala psiquiátrica coordenada pela enfermeira Mildred Ratched, uma das maiores vilãs do cinema que retorna às telas agora, interpretada pela atriz Sarah Paulson.

A série de suspense, desenvolvida por ninguém menos que Ryan Murphy, traz de volta a personagem da enfermeira sob novas perspectivas, contando sua trajetória até os acontecimentos mostrados no longa da década de 70. A ideia é mostrar como ela se transformou de enfermeira dedica à vilã monstruosa. Porém, foram os cenários que chamaram nossa atenção pela riqueza dos detalhes e pelas emoções transmitidas.

Murphy conseguiu criar uma identidade própria dentro de suas produções, principalmente pelas locações e cenários marcantes, ambientes luxuosos e uma paleta de cores escolhida a dedo. Além disso, o entendimento de que a iluminação na cena é peça chave para transmitir uma sensação torna tudo mais perfeccionista. Entenda melhor – e sinta – o que estamos falando conhecendo um pouco mais da arquitetura de Ratched:

1. Os tons de verde e vermelho

Usado inclusive na iluminação de cenas importantes, o verde foi uma cor bastante analisada pela equipe de design e cenografia da produção. A série acontece na década de 1940 (antecede o filme), quando a cor era muito utilizada na decoração, em azulejos, estofados e detalhes. Mas não foi escolhida apenas por isso, o verde transmite inquietude, sendo fundamental para uma série de suspense, não? Em muitas produções, a cor é aparece interrompendo uma cena de forma rápida e, esse flash colorido, traz a sensação de que algo amedrontador irá acontecer.

Outra cor bastante utilizada foi vermelho, que também transmite a energia de aflição e expectativa. Aliás, isso é um outro assunto, que em breve falaremos mais aqui no blog. Você vai entender que as luzes e cores são, sim, capazes de transmitir sensações.

É interessante compreender que, mesmo sendo uma série repleta de mistérios, não foi preciso trabalhar com ambientes e cenas monocromáticas, como acontece na maioria das produções que seguem essa linha de roteiro. Pelo contrário, Ryan conseguiu, através de muitas cores, tornar a história mais atrativa e não menos angustiante.

Ratched, trailer original/ Netflix

2. O hospital com cara de hotel de luxo

Um dos principais cenários, e mais trabalhoso – segundo a equipe, foi o hospital psiquiátrico, até porque é ali onde tudo acontece. Ryan queria que fosse realmente um ambiente de luxo, como um hotel que se transformou em um hospital.

Os ambientes do local onde Ratched trabalha contam com lustres enormes e uma iluminação nada básica. A decoração – ou, no caso, a falta dela – é bastante peculiar, explora o uso de muito cristal, arandelas e abajures enormes, que muitas vezes são os únicos elementos decorativos dos ambientes além do mobiliário e revestimento. Aproveita-se do excesso de cor e das peças de iluminação como único ou principal elemento decorativo do espaço. Repare em cima das mesas, poucos elementos, mas bem marcantes. É clean e exagerado ao mesmo tempo. Além disso, paredes coloridas, veludo e móveis complementam e remetem mesmo à ideia de um ambiente luxuoso que fora transformado em hospital. Mas a iluminação das cenas e, consequentemente a luz e sombra causada nos personagens varia de acordo com o momento que a série vive.

3. Corredores e quarto: ar de mistério

Já os corredores possuem arandelas ao lado das portas, o que traz novamente as sensações que o enredo quer passar, de inquietude, dúvida, expectativa. Nos quartos, abajures e arandelas nas cabeceiras deixam uma luz mais indireta, geralmente direcionada para cima, gerando uma sombra proposital no rosto dos atores, para dar o ar de mistério e tornar tudo mais emblemático.

4. A casa de Lenore Osgood

Este é o ambiente mais excêntrico e too much da série. Lenore Osgood é uma socialite interpretada por Sharon Stone, que passa a essência de sua personagem não apenas pelo figurino impecável e seu macaco de estimação, mas por todos os detalhes exóticos da sua residência.

O cenário é uma famosa casa Dawnridge, localizada em Beverly Hills, de 1949, que foi construída pelo designer Tony Duquette (1914-1999) e hoje é mantida pelo companheiro Hutton Wilkinson, também designer.

A decoração da casa deixa nítido que Duquette gostava de um estilo extravagante, mas ao mesmo tempo sofisticado. O ambiente maximalista é um verdadeiro teste de percepção dos detalhes e da visão já diferenciada que o design demonstrava na época.

Em relação à iluminação, boa parte das arandelas e luminárias foram produzidas e incluídas no cenário especificamente para a série, trazendo um pouco mais do estilo asiático que pretendiam dar ao ambiente, com uso de madeira e ferro, as peças são ricas em detalhes assim como o restante dos cenários.

Ryan Murphy e os cenários luxuosos

Agora que você já visitou um pouco dos lugares incríveis da série, vamos falar um pouco mais sobre quem esteve por trás disso tudo. Ryan Murphy é responsável por várias outras produções conhecidas, como: American Horror Story, Glee, The Politician e Hollywood. O vencedor de de 7 Emmys e 5 Globos de Ouro criou uma linha de enredo e estética em que é possível identificar logo de início suas produções.

Para Ratched ele contou com a designer de produção Judy Becker, que se sentiu muito à vontade nas criações, já que boa parte dos ambientes foram desenvolvidos para a série, sem o uso de uma locação pronta.

Ryan sempre deixa claro que, mesmo sendo possível trabalhar com os cenários dos sonhos, não se pode fugir da realidade. As pessoas precisam se encantar com os ambientes, mas acreditar que eles possam existir de verdade. E até mesmo o elenco percebeu a importância dos cenários nesse trabalho. Confira abaixo o que Sarah Paulson destacou ao site F5 Folha:

Trecho de entrevista para o site F5 Folha em 17 de setembro de 2020. Disponível completa em: youtube.com/watch?v=soXIRIFj7JE (Youtube)

Fica aqui nossa sugestão, assista Ratched com olhos atentos aos detalhes desses ambientes que podem se tornar grande inspiração para os dias atuais!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin