ÍCONES DA ILUMINAÇÃO – TOM DIXON

Mais um grande designer para nossa série Ícones da Iluminação. Com certeza você já ouviu falar sobre Tom Dixon, reconhecido mundialmente por suas criações. E se você deseja conhecer mais sobre sua trajetória e trabalho, acompanhe nosso conteúdo e prepare-se para se apaixonar por seus feitos.

21 de SETEMBRO de 2021

Tom Dixon é uma marca de design de luxo britânica fundada pelo próprio e seu sócio, David Begg. A marca, especializada em design de iluminação, móveis e acessórios, faz sucesso e é vendida em mais de 90 países ao redor do mundo.

Um designer por acidente

Ao contrário do que muitos imaginam, Dixon não é formado em design. Acredite, ele, autodidata, descobriu seu dom de projetar objetos ao longo de sua vida por acaso, e hoje é aclamado e considerado um dos profissionais mais renomados na área. Segundo Dixon, é preciso mais do que criatividade para desenvolver peças, é preciso conhecer a materialidade e os processos de fabricação.

“Tive a ideia de que você pode transformar materiais em algo mais precioso. E isso é ainda o que eu faço.”

Vamos entender um pouco mais da curiosa trajetória de Dixon:

Tom Dixon nasceu em 1959 (atualmente, 62 anos) na cidade de Sfax – Tunísia (país ao norte da África), e então em 1963, ainda criança, junto com seus pais, mudou-se para Huddersfield (norte da Inglaterra).

Ao se mudar para a Inglaterra, estudou em uma escola que tinha um ótimo departamento de arte, onde teve seu primeiro encontro com a natureza transformacional do design através da cerâmica, e foi aí que Dixon entendeu que poderia transformar materiais em objetos preciosos.

Jovem Tom Dixon trabalhando com cerâmica.

Ainda jovem, também fez parte de uma banda (grupo funk-disco Funkapolitan) que fez muito sucesso em Londres, chegou a fazer turnês como banda de apoio para outros grupos da época, porém, Dixon sabia que era uma ótima maneira de ganhar a vida apenas aos finais de semana e dedicava o restante do seu tempo à soldagem, e foi aí que descobriu o potencial decorativo e estrutural de materiais reciclados e sucata industrial.

Dixon sempre teve uma visão comercial muito forte, por isso, começou a vender os objetos que soldava.
“O aspecto comercial nunca foi separado do aspecto do design.”

Sucesso

Em 1985, Dixon foi um dos membros criadores do coletivo Creative Salvage, por meio do qual vendeu suas primeiras obras. Através deste coletivo foi descoberto por Giulio Cappellini (diretor de arte da empresa italiana de design Cappellini, marca de design de móveis e interiores com peças assinadas por grandes designers contemporâneos). No final dos anos 80, trabalhando para Cappellini, criou a famosa cadeira “S”. Lançada em 1989, rapidamente se transformou em um ícone com sua forma escultural e a ausência de uma estrutura tradicional e hoje se encontra como peça permanente no Museum of Modern Art de Nova York. Tom Dixon participou de diversos outros projetos com Cappellini, incluindo: chaise long bird, mesa e cadeira pylon.

Cadeira Bird, Cadeira Pylon e Cadeira ‘S’.

Tom Dixon tem seu trabalho produzido por grandes marcas e suas peças expostas permanentemente em coleções de grandes museus, como o Pompidou (Paris), no MoMA (NY) e Victoria & Albert Museum (Londres).

Participou de grandes exposições, como o Salão internacional de móveis de Milão e o London Design Museum, assim criando uma grande fama internacional. Mais de 600 produtos de iluminação e móveis são confeccionados por sua marca.

No ano 2000, Dixon recebeu um O.B.E (Order of the British Empire), uma medalha de condecoração por serviços de design no Buckingham Palace.
Em 2014 foi nomeado o ‘Designer do Ano’ da Maison & Objet (uma das maiores feiras de decoração e design do mundo) e em 2019, Dixon ganhou o Prêmio de Design do London Design Museum e no mesmo ano ganhou o Prêmio de Decoração da revista ELLE na categoria banheiro com as coleções Spot, Stone e Plane.

Dixon coleciona inúmeros prêmios ao longo de sua carreira, merecidamente. Hoje, com 62 anos, Tom Dixon continua sendo um dos maiores designers dos últimos anos, tendo obras conhecidas no mundo todo e sendo referência para muitos outros designers.

Um pouco sobre LUZ

Seu sucesso não foi baseado apenas em seu design de móveis, mas também por suas luminárias atemporais.

Tom Dixon se considera reducionista e construtivista, ou seja, preza por fazer as coisas da forma mais simples e diferente possível. Ele inicia seus projetos primeiramente pensando nas possibilidades de material, no potencial de fábrica e na estrutura do objeto, para depois pensar na forma final ou no acabamento de suas luminárias, ele diz que sua maior inspiração são as técnicas de manufatura, pois adora ver o processo de como as coisas são feitas.

Dixon foi um dos primeiros designers a investir em acabamentos metálicos, criando peças únicas que se encaixam em todo tipo de ambiente. Ao longo de sua carreira, ele já criou mais de 15 coleções de luminárias, com uma grande variedade de tamanhos e formas, feitas com materiais reutilizados.

Coleção MELT

Entre todas suas coleções, algumas se destacam, como por exemplo a coleção Melt, coleção com uma série de esferas distorcidas e semi metalizadas, feitas para criar um efeito óptico impressionante. A coleção Melt foi formulada com a ideia de ser um objeto de iluminação imperfeito, orgânico e natural. A peça é criada a partir de um processo de moldagem de sopro e seu acabamento por metalização a vácuo, feito para conseguir alcançar formas de globos derretidos. Seu efeito espelhado cria um acabamento de superfície refletivo quando desligado, mas quando ligado, se transforma em uma cor translúcida.

Vídeo coleção melt

Coleção LUSTRE

Lançado em 2012, o LUSTRE light é uma coleção de pendentes de cerâmica (Acredite! Apesar do acabamento parecer muito metalizado!), disponível em quatro desenhos geométricos, com um brilho iridescente (cujas cores são as do arco-íris ou que reflete essas cores).

Feitos a mão por artesãos holandeses, esses pendentes em grés (material feito a partir de argila de grão fino) passam por um processo de fundição que chega a 1200°c, pulverizado com um esmalte especial que contém minerais e metais preciosos, após ser queimado ele resulta em um efeito de brilho furta-cor, fazendo assim com que cada peça seja totalmente única, não existem dois tons iguais. Esse brilho é inspirado em penas de pavão e em manchas de óleo, seus formatos inspirados em templos Maias e Art Déco para que a peça seja uma junção decorativa e estrutural ao ambiente.

Pendentes Round, Flat, Square e Wedge

Coleção BEAT, a mais conhecida mundo afora

“Esculturas iluminadas formadas à mão com martelos e tornos”

Em 2004 Dixon participou de uma iniciativa em Jaipur (capital do estado do Rajastão, na Índia) para criar possibilidades para os metalúrgicos de rua e acabou tendo a ideia de criar a Coleção Beat.
Originada de vasos de água adaptados, as peças Beat são confeccionadas por artesãos do norte da Índia, feitas de latão fiado à mão, soldados, batidos e desnatados em um torno. O interior batido foi feito para refratar e refletir uma luminosidade suave e quente, e também para fazer contraste com seu exterior polido. A coleção Beat está disponível em quatro cores: preto, branco e latão (dourado).

Beat é uma coleção de luzes de teto, mesa, chão e parede.

Aqui, a gente deu ênfase para a iluminação, mas é claro que é incrível conhecer também as demais linhas do artista, que além de mobiliário, também produziu acessórios, tecidos e outros.
Acesse o link do site do artista: https://www.tomdixon.net/
Nos acompanhe também no instagram: @adamseadams

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin